Você está em:
Histórias

Da informática para as feiras

Brinquedos pedagógicos e as muitas surpresas que constroem a história do feirante Erik Charles

Por Dia de Feira em 12/05/16 às 11:02

Os brinquedos expostos na barraca do Erik surpreendem quem passeia pela Feira de Arte e Artesanato da Av. Silva Lobo por sua inventidade. Produzidos à mão e com base em técnicas da psicopedagogia, eles têm como principal função botar a cabeça das crianças pra funcionar sem deixar a diversão de lado.

Tão surpreendente quanto seu artesanato, é a história do Erik, que, com formação na área de informática, nunca havia imaginado que poderia vir a ser feirante. Há dois anos, no entanto, a sua carreira deu uma guinada: um amigo com problemas de saúde precisou de um ajudante em seu ateliê de brinquedos pedagógicos e Erik, por estar desempregado, topou o desafio. O tempo trabalhando ao lado do amigo foi suficiente para que se encantasse e nunca mais largasse a profissão.

Hoje, já familiarizado com a área, o feirante segue encontrando surpresas. O último desafio apareceu recentemente: professoras do ensino público o procuraram para produzir brinquedos que pudessem auxiliar no aprendizado de crianças autistas. Foi necessária muita pesquisa e uma imersão completa em métodos da psicopedagogia para chegar num resultado que deixasse o feirante, as crianças e as professoras satisfeitas.

Com uma história cada vez mais viva e atuante nas feiras, Erik assumiu a liderança da associação de feirantes da Feira da Av. Silva Lobo, também expõe seu artesanato na Feira do Santa Tereza e segue transformando diversão em aprendizado.